• Foto: Jornal do Comércio/Reprodução Twitter.

 Estudo realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Recife identificou os terminais integrados de ônibus como os locais com maior risco de infecção pelo Covid-19. Das amostras positivas, 48,7% foram encontradas em terminais e 26,8% nos arredores de hospitais.

“A gente identificou os pontos críticos de controle, locais em que você tem que tomar um cuidado extra. Nesses pontos que têm grande trânsito de pessoas, como terminais de ônibus e entorno de hospitais, as pessoas têm que tomar um cuidado redobrado”, apontou o pesquisador da Fiocruz Lindomar Pena.

 As amostras foram coletadas em superfícies de locais com grande movimentação de pessoas: terminais de passageiros, unidades de saúde, parques públicos, mercados públicos, áreas de praia e centro de distribuição de alimentos.

Depois dos arredores de hospitais, do total de amostras positivas, 14,4% foram encontradas parques públicos, 4,1% em mercados públicos e 4,1% em praias.

 As reclamações de usuários de transportes públicos sobre grandes aglomerações em terminais integrados como metrôs e ônibus permanecem frequentes durante a pandemia, mesmo durante períodos em que havia maiores restrição de atividades.

 A ausência de maior frota de transportes para atendimento da população, devidas adequações e falta de fiscalização causam aglomerações em desrespeito as regras sanitárias de combate ao Covid-19, e pessoas sem máscara fazem parte da rotina de quem precisa do transporte público.

A Defensoria Pública do Estado e o Grande Recife Consórcio de Transporte, responsável pela gestão dos ônibus na Região Metropolitana, fizeram um acordo para tentar melhorar a situação. Ainda assim, aglomerações e pessoas sem máscara fazem parte da rotina de quem precisa do transporte público.

Redação PH Bezerros / Informações G1 PE