Uma nota explicativa, que seria de autoria da pasta da Agricultura de Bezerros, circula nas redes sociais sobre uma dispensa de licitação em nome de uma empresa de Turismo e Transporte para a prestação de serviço na distribuição d’agua, através de caminhões pipas no município de Bezerros. A redação entrou em contato com a titular da pasta, a secretária Thais Santos, para atestar ou não a veracidade do conteúdo disseminado nas redes sociais e aguarda confirmação.

“Pessoal, boa noite!

Vim aqui tentar esclarecer alguns fatos que foram mencionados em relação a pasta a qual estou desenvolvendo um trabalho de coordenação do abastecimento rural do município.

Pois bem, a licitação emergencial foi realizada devido o período de estiagem do município, tendo em vista que temos uma grande e extensa zona rural onde já foram realizados mais de 930 pedidos de abastecimento. E isso não equivale a um terço da população da zona rural, onde temos pessoas vivendo com 2 latas d’agua por dia. Muitas casas tem recém nascidos, deficientes, acamados, idosos e famílias em sua totalidade que necessitam de água para sobreviver, não podíamos esperar a licitação geral, temos que abastecer essas residências todos os meses. Existem cisternas que atendem diversas famílias que abastecemos mais de uma vez ao mês – algumas todas as semanas – existe um planejamento na secretaria para atendermos a todos da zona rural com a maior velocidade possível e menor burocracia.
A licitação emergencial foi cotada com empresas das redondezas e da cidade, mas as documentações não atendiam aos requisitos exigidos por lei. Lembrando que a associação dos pipeiros que Seu Jailson está à frente, encontra-se com a empresa em processo de organização do CNPJ, o jurídico da empresa estava resolvendo. No entanto, não podíamos esperar! Temos a ajuda com abastecimento de água do exército com a água de beber, mas além de não atender todas as localidades estão parados sem abastecer Bezerros e região, devido ao repasse do governo federal que não está chegando. Mesmo com a ajuda que se tinha, tem pontos que são quilômetros para o morador ir buscar na casa de outra pessoa, e a cisterna que o exército abastece não podemos abastecer, pois são pontos específicos para água pronta para o consumo, portanto águas diferentes.

Abastecemos localidades distantes como Sítio Alegre, Cabugi, Ramada, Juá, Pedra Miúda, Mundo Novo entre outros.
Pessoas que não estavam recebendo água da prefeitura há meses – algumas há mais de 1 ano.

Não fizemos nada ilegal, a empresa anterior tbm não era da cidade. Não é fácil encontrar uma empresa toda organizada e com carros organizados, com um preço que a prefeitura possa pagar.

O valor que foi licitado não é um valor que será gasto se NÃO HOUVER a necessidade da entrega da água. Pois, além de levarmos a água, orientamos sobre o uso e racionalização. Estamos fazendo fiscalizações pontuais que são necessárias para sermos eficientes em nosso trabalho, pois pagamos – leia aqui toda a sociedade – além da água que compramos para cada caminhão, também a viagem, e não é toda empresa que cobra um valor acessível. Lembrando que o combustível e o pipeiro é por conta da empresa.

Mas caso ainda haja duvidas, vocês também podem passar em nossa secretaria para mais informações, saber a quantidade de água entregue, localidades e os valores que são pagos para empresa.

E sim, muitos pipeiros da associação de seu Jailson prestam serviço para compesa, abastecendo os prédios públicos – postos de saúde, casa de acolhimento, banheiros públicos e etc – da cidade que necessitam do fornecimento de água e pagamos por esse abastecimento, então os pipeiros da associação são beneficiados igualmente com oportunidades.

Enfim, esse é apenas um breve esclarecimento.

Em menos de 2 meses, abastecemos 702 pedidos, incluindo as cisternas comunitárias. Estou me esforçando ao máximo para tornar o abastecimento algo corriqueiro na vida do nosso povo da zona rural que, por muito tempo, foi esquecido por inúmeras razões. A água está chegando e vai continuar!

Boa noite e estou aqui para o que precisar”.

 

Thais Santos : A secretária de Agricultura de Bezerros Thais Souza confirmou que o conteúdo publicado nas redes sociais sobre dispensa de licitação na pasta é verídico. “…esse foi um texto informal de Whatsapp, que do ponto de vista da qualidade e veracidade das informações podemos fornecer tranquilamente todos os dados…”, disse em mensagem enviada pelo Whatsapp . Thaís informou, ainda, que o setor de comunicação institucional deve enviar realiase com informações mais completa.