O diretor fundador e administrativo do Site Bezerros Hoje Flávio Melo voltou a assinar a coluna “dos Bastidores da política” após longo período inativo.

Rotineiramente, a coluna vai ao ar nas quartas e domingos no Site Bezerros Hoje tratando sobre assuntos políticos da cidade de Bezerros e municípios vizinhos.

Em seu retorno no dia 30/08, Flávio deu destaque ao o que classificou como gestões de referências na administração pública sensíveis a questões sociais, citando como referência os prefeitos de Camocim de São Félix, Giorge de Neno (PSD) e Gildo Dias (PL) Prefeito de Sairé.

Na visão municipal, o diretor do Bezerros Hoje teceu críticas a prefeita de Bezerros Lucielle (DEM) alertando a chefe de executivo que sua gestão “ainda não acertou o passo na sua administração”, frisando que “para a opinião pública o sentimento é que a cidade piorou, principalmente nos serviços básicos”, disse.

Ainda em título de opinião redigida, o diretor colunista afirmou que existem contradições no discurso da atual prefeita. “A prefeita de Bezerros prometeu concurso público para Debetrans e Guarda Municipal no primeiro ano de gestão e, pelo andar da carruagem, não vai cumprir. Sequer um processo simplificado foi realizado, algo que também foi prometido. A diferença do discurso de campanha à prática é gritante.” diz Flávio Melo em retorno a coluna política.

Na nova coluna publicada já nesta quarta-feira (01/09), a coluna dos bastidores da política voltou a enfatizar atitudes de Lucielle enquanto a continuação do mandato. “A Prefeita Lucielle (DEM) voltou a mirar no passado, com críticas a gestão Breno (PSB), possivelmente como forma de justificar a inércia do seu governo no tocante a serviços básicos deficientes. A impressão é que a cidade piorou, embora na sua visão o município já “respira novos ares”. Ninguém em sã consciência exigiria que a atual gestão pudesse já apresentar grandes resultados em apenas oito meses de governo. A prefeita está sendo cobrada pelo básico não feito, e isso provoca sentimentos ruins quando se olha para as expectativas lançadas.

A herança, embora maldita, nunca foi impecilho para que novos governos pudessem mostrar a cara da gestão já no primeiro ano”, disse Flávio Melo.

 

Redação PH Bezerros