Os professores votaram a favor da greve durante assembleia geral virtual realizada nessa quinta-feira (15), com o intuito de impedir o retorno gradual das aulas presenciais no Estado, que começa na segunda

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), através do desembargador Fábio Eugênio Dantas Oliveira, determinou a suspensão, neste sábado (17), da greve dos professores e profissionais de Educação da rede pública estadual.

A paralisação, prevista para abranger apenas as aulas presenciais e não as remotas, estava marcada para começar na próxima segunda-feira (19).

O movimento paradista foi decretado na quinta-feira (15), após assembleia da categoria, representada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe).

Na data, a Secretaria de Educação e Esportes lamentou a decisão do sindicato e se disse “aberta ao diálogo”.

Para a segunda-feira, está marcado o retorno das aulas presenciais na rede pública estadual, com a volta dos estudantes do 3º ano do Ensino Médio, Ensino Infantil e anos iniciais do Ensino Fundamental – do 1º ao 5º ano.

O cronograma segue nos dias 26 de abril, com a volta dos estudantes dos 8º e 9º anos do Ensino Fundamental e do 2º ano do Ensino Médio.

Por fim, par 3 de maio está marcada a volta dos alunos dos 6º e 7º anos do Ensino Fundamental e 1º ano do Ensino Médio.

O Sintepe, de acordo com informações, ainda não se posicionou em relação à suspensão da paralisação.

Informações: Folha de Pernambuco