Quem chega a Bezerros, sentido capital/interior, já observa que o grupo Neoenergia começa a fazer a religação de um pequeno trecho da iluminação da BR-232. O fato parece ter chamado a atenção da prefeita, que logo cuidou de levar a equipe para uma reunião de ‘acompanhamento’ dos serviços com direito até a registro nas suas redes sociais.

É longo o histórico de cobranças sobre o descaso com a escuridão nos trechos urbanos de Bezerros. O grupo que assumiu a antiga Celpe está apenas cumprindo com sentença judicial de ação transitada e julgada, que foi impetrada ainda no governo do ex-prefeito Marcone (2005/2008).

De lá para cá, o que houve foi a protelação de uma ação já decidida. Foi preciso o ex-prefeito Breno, contrariando inclusive a lógica da ação, formular um acordo, em 2020, onde a companhia recuperaria o parque elétrico e o município passaria a pagar pelo consumo. O acordo, que foi considerado nulo pelo governo Lucielle, continuou válido segundo confirmou vereadores da oposição em visita a sede da Neoenergia em março do ano passado. Diante das críticas mais efusivas, a prefeita Lucielle apareceu, ainda no ano passado, ao lado do aliado político Mendonça Filho em reunião na companhia elétrica. A promessa era que, até o final do ano de 2021, fosse restabelecida a iluminação dos trechos urbanos de Bezerros e Encruzilhada.