Secretários de Estados e municípios alertam o governo federal sobre possível alta e 3ª onda do Covid-19

 

O governo federal vem recebendo alertas sobre a chegada de uma nova onda da pandemia de Covid-19 de secretários de estados e municípios.

Em documentos internos, a Saúde reconhece que é incerta a evolução da doença. “Não estamos vislumbrando isso nesse momento. A maneira adequada de se evitar terceira onda é avançar na campanha de vacinação”, disse o ministro da saúde nesta sexta-feira (21).

Ele afirmou que alguns estados e municípios já notaram “pressão sobre o sistema de saúde”. “Isso se reflete pela abertura que foi concedida nesses estados.”

Gestores do SUS temem, além da falta de insumos, que a rede de atendimento pública não dê conta da nova alta da pandemia. Para o presidente do Conass, é pequena a margem para ampliar o número de leitos e já faltam profissionais de saúde disponíveis para o trabalho.

Em nota, a Saúde disse que se prepara para eventual nova onda. “A pasta atua em uma forte campanha de imunização e faz o acompanhamento de consumo e estoque de insumos utilizados no enfrentamento à pandemia”, disse o ministério.

Os alertas sobre nova onda da doença não alteraram a postura de Bolsonaro, que tem promovido aglomerações. “Tem alguns idiotas que até hoje ficam em casa”, disse o presidente a apoiadores, no dia 17 de maio.

O Brasil já ultrapassa a marca de 450 mil mortes. Pernambuco já contabiliza mais de 15 mil mortes e o Município de Bezerros mais de 100 mortes de pessoas acometidas com Covid-19.

 

Informações: Folha de Pernambuco