Iniciadas a mais de 1 ano, as obras do Estado de tratamento de esgoto, apesar de importantes, chegam em Bezerros sem cronograma, causando transtornos a população e futuro aumento de tarifa.

 

Medidas efetivas em relação a matéria parecem ainda não terem sido abordadas entre a Prefeitura, Compesa e a empresa. Quem sofre é a população e o comércio da cidade.

 

Constantemente, a população demonstra sua insatisfação com o andar das obras do Governo do Estado nas cidades às margens do rio Ipojuca que chegam a Bezerros com cronograma incerto da Compesa junto a empresa SCAVE. Reclamações frequentes de populares afirmam que dado início em um local, além da perturbação constante ocasionada pelo barulho das máquinas pesadas em trabalho, poeira e lama em período chuvoso, o cronograma é alterado e a empresa parte a outra localidade deixando a obra do local inacabada causando mais transtornos a população. Quando não, a reposição de calçamento e asfalto é de péssima qualidade podendo causar acidentes.

Dessa forma, com a obra em andamento pela cidade e encontrando-se atualmente no centro da cidade e em avenidas principais, os comércios passam a ser prejudicados diretamente interditando as faixadas de lojas, mercados, pontos de comércios e demais atividades que necessitam de tráfego livre para acontecer.

Concorrentemente, incidentes já foram registrados de caminhões atolando em crateras, carga de areia tombada por cima de criança no centro e demais ocasiões em registro na redação do PH Bezerros.

Em notas frequentes divulgadas nas mídias oficiais afirmando devida fiscalização, a Prefeitura da cidade parece não encontrar resposta positiva da população. Em enquete realizada no site, 90% dos participantes reprovam as ditas ações de fiscalização do poder executivo.

Em contra proposta, ações de embargo a obra já foram propostas pelo vereador e líder do governo Eduardo (DEM). Ademais, o vereador também enfatizou que sem ações efetivas do poder executivo e do legislativo, irá acionar a justiça com ação civil contra a empresa SCAVE e seus desmandos. “Essa não é uma fala do governo, é fala do vereador Eduardo. Estou aqui para ser voz do povo e combater os desmandos da SCAVE. Se ninguém mais quiser, eu vou entrar com ação civil contra a empresa SCAVE”, disse Eduardo em plenário da casa legislativa.

Por último, a cidade e munícipes aguardam medidas efetivas em relação a matéria que parecem ainda não terem sido abordadas entre a prefeitura, Compesa e a empresa, e quem sofre é a população e o comércio da cidade.

 

Resultado da enquete:

 

 

Redação PH Bezerros

Publicado por: Rômulo Pedro