Por: Rômulo Pedro

O homem vai, mas seu legado fica.

Padre Bianchi Xavier de honrosos 69 anos deixa um legado de amor, respeito, humildade, simplicidade e orgulho de ser nordestino. Para sempre guardado em nossos corações, será sempre um exemplo a ser seguido em suas palavras e atitudes, lembraremos sempre da sua excelência de pessoa e sacerdote.

 

Deixou-nos na manhã da ultima quarta-feira (12/05) o querido Padre Bianchi Xavier. O seu estado de saúde era grave, foi internado inicialmente por uma pneumonia e o quadro se agravou. A última informação confirmada pela diocese foi de que também tinha contraído Covid-19 o que levou seu já estado debilitado de saúde ficar irreversível e vir a falecimento em caruaru. O cortejo fúnebre aconteceu na tarde da quarta-feira na Paróquia Nossa senhora de Fátima.

O pároco conhecido por seu legado de amor e respeito ao próximo deixa uma história inigualável por suas atitudes honrosas de compaixão e humildade. Sempre afetuoso Bianchi marcou história por onde passava e não foi diferente na cidade de Bezerros onde ganhou titulo e se tornou cidadão Bezerrense. Sua trajetória marcou a cidade e a vida dos bezerrenses. Adeptos ou não da fé católica sempre elogiaram a sua personalidade e sua forma diplomática de lidar com situações adversas. Em ocasiões especiais, o padre chegou a reunir diferentes seguimentos religiosos como o Evangelho protestante, Espiritismo e umbandismo visando interação entre os lideres religiosos de Bezerros e ações positivas para população.

Antes de ser padre, Bianchi Xavier cantava na caravana de Ivan Bulhões e foi lançado na antiga Rádio Difusora. Dedicou 37 anos ao sacerdócio e atualmente era pároco da Igreja Nossa Senhora de Fátima em Caruaru. Também serviu ao catolicismo nas paroquias de Santa Cruz e Bezerros. Com seu jeito humilde e simples de levar a palavra da Cruz de Cristo ao povo, suas mensagens sempre eram bem recebidas pelo público. Sempre animado e entrosado com os fieis, gostava de usar a música como mensagem e cantava junto aos fieis letras que levavam sempre mensagens positivas de fé, motivação, amor, carinho ao próximo e o orgulho de ser nordestino.

 

Em 1996 Padre Bianchi foi candidato a prefeito em Santa Cruz e teve votação expressiva contra um grande grupo politico articulado na época. Em entrevista ao Blog no Ney, Bianchi diz:

 

 

“Sou agradecido a Deus por ter perdido a eleição, pois, se eu tivesse sido eleito, não seria mais padre e teria feito carreira na politica, mas veja a situação de como está a nossa politica… Eu estaria engessado de fazer aquilo que eu mais gostava de fazer, que é politica voltada para o bem comum.”

Da mesma forma, em sua passagem por Bezerros sempre defensor da boa politica e da politica do bem comum, seu jeito de pensar conquistou os Bezerrenses e chegou a ser cotado para o cargo de prefeito da cidade. O calor da cidade e sentimento espontâneo do povo incentivava sua candidatura, o que levou a perseguição de sua pessoa por grupos poderosos insatisfeitos com seu destaque na cidade. Ele era amado e odiado apenas por ser quem era. Acabou sendo afastado do ministério na cidade e passou por momentos difíceis de estado de depressão após injustiçado. Conseguiu voltar a exercer seu sacerdócio na cidade de caruaru onde residia e continuava seu trabalho de fé e humanitário sem acepção de pessoas.

O homem vai, mas seu legado fica. E Padre Bianchi Xavier de honrosos 69 anos deixa um legado de amor, respeito, humildade, simplicidade e orgulho de ser nordestino. Para sempre guardado em nossos corações, será sempre um exemplo a ser seguido em suas palavras e atitudes, lembraremos sempre da sua excelência de pessoa e sacerdote.

 

Homenagem da Redação PH Bezerros

Redator: Rômulo Pedro