Falamos tanto em liberdade e nos limitamos o tempo todo

Vos escrevo esta carta com 1.037 palavras. Meu último pedido a cada um é que se esforcem para ler e reflitam.

 Para mim, a Política iniciou-se no começo de 2019. Cheguei à área pública através do meu antigo professor e hoje amigo Edinaldo e na ocasião conheci o então Presidente da câmara Hailton (Gabeira) e Erickson, ambos fundadores do projeto. Foi quando também conheci o diretor do site “Bezerros Hoje” Flávio Melo o qual admiro muito e tenho respeito. Foi onde dei início ao projeto chamado “Parlamento Jovem”. Conduzir o projeto foi uma das melhores coisas que já me aconteceram. Lá eu pude falar a mais de 10 mil estudantes o que é a Política de verdade pra mim sem o egoísmo partidário que existe e está encrustado na maioria que se envolve e nos que se dizem “representantes do povo.”

O ano de 2019 foi marcado em minha vida e nunca me esquecerei das palavras que disse na tribuna da câmara. Falei de gratidão a todos por terem me dado à oportunidade, somaram comigo e me deram a confiança de conduzir este projeto. Em busca do meu sonho de mudar o mundo e as pessoas eu cometi muitos erros pelo caminho. Aprendi que para ter sucesso e ascender ao poder é preciso sacrificar tudo. Tive a oportunidade de conhecer pessoas incríveis e vivenciei novas experiências e momentos em que o mundo parecia cair sobre os meus ombros.

Após o Parlamento Jovem, ingressei no projeto que já caminhava antes da minha chegada junto a coordenação de campanha do candidato Gabeira até onde puder ir, mas me afastei antes mesmo da convenção, nem estive presente. O projeto de oposição venceu a eleição com Lucielle prefeita e o que poderia ser algo melhor se perdeu em um período tão curto de ascensão. Hoje escrevo esta carta pelo que veio depois. Pessoas que se perderam percorrendo o mesmo caminho para chegar ao mesmo lugar. Boas pessoas, com bons espíritos, com visões diferentes que se agregadas somariam um potencial extraordinário, mas vivem no embate redimidos cada um à sua realidade, querendo provar seu valor, ou algo que seja. Eu sei dos valores que vocês têm. Das missões que vocês têm, da coragem, do empenho, da atuação política, dos enfrentamos ante os problemas da vida e a superação de obstáculo após obstáculo, mas eu não consigo mais lutar essa luta, estou cansado de permanecer sobre círculos viciosos e em uma política que eu não acredito.

Dizem que o puxa saco aplaude, o idiota vaia, o sensato se cala e o sábio ouve e se retira. Acredito que isso se aplica a muitas realidades, por isso cabe me retirar de um tipo de embate que já não me cabe, me mantendo no caminho que eu acredito como um conselho em sonho de um velho amigo e uma promessa feita a alguém no passado que nunca renunciaria a quem eu sou.

Aqui deixo um conselho a você, Lucielle. Espero poder estar errado, mas aparentemente você se encantou com a chegada ao poder e não esqueça que o poder atrai o pior e corrompe os melhores. E o mesmo só é concedido a quem está disposto a curvar-se para obtê-lo. Energias maldosas que você escolheu para estar a seu lado chegaram ferozmente e lhe atrapalham, assim como sentimentos pequenos de ego. Amigo é aquele que alerta e corrige, se você leu as minhas colunas, talvez você não encontre melhores amigos depois de mim e dessas minhas prováveis últimas letras, parágrafos e linhas. Talvez um dia volte a escrever, como costumo dizer, só a paciência dirá. Acredito na sua pessoa e no seu potencial, mas tenha cuidado. Sempre que precisar, volte as suas raízes. Tire sempre a pedra do sapato, é um bom conselho.

A vocês, meus amigos Flávio e Claudino! Só peço que sejam sinceros consigo mesmo, façam uma alta análise, revejam sobre tudo oque já se passou e oque vocês enfrentaram e se perguntem se o que vocês defendem tem haver com o que já mencionei e se vale apena permanecer dessa maneira. Vocês são gigantes e eu os conheço, tem espíritos livres e de posição firme. Críticas devem ser feitas, mas com a intenção correta, assim como liberdade de opinião também, mas não comprometam quem vocês são e o poder que tem em busca de algo tão vazio que se repete constantemente que é o embate buscando a prova seja do que for. Não confundam as coisas, isso vale para tudo e lembrem-se que pontes os levam mais longe do que muros. Muros são necessários para proteção, mas não são eles que devem os limitar.

A todos, não vivam em prisão emocional ou mental. O ego e o orgulho limitam o maior aprendizado: Não é sobre você. Às vezes não é por mal, simplesmente não sabem ou não conseguem fazer diferente, também estive assim, mas decidi romper com isso e seguir em frente. Tenham certeza de que, daqui a pouco tempo, o problema pode envolver outra pessoa, e depois outra, e depois mais outra, num rastro interminável e repetitivo de futilidade como chegou a me envolver, mas percebo o quanto enfadonho é permanecer assim, e hoje quebro esse ciclo para mim. O mal opera utilizando as fraquezas de cada um, como diz a religião, pelo pecado, analisem e revejam quem vocês são de verdade. Romper com esses ou outros sentimentos que eu não conheço, mas possam ter, é essencial. 

 Peço perdão a todos, pelos maus sentimentos que eu possa ter tido. Hoje estou e sigo em paz, afinal não cabe a mim mudar algo ou a forma de pensar de alguém. Só estamos aqui para cuidar cada um da sua vida, corrigir os erros e aprender a ser melhor. Quero apenas que tudo dê certo. Minha missão na política talvez tenha terminado aqui, só o tempo dirá, ele é o melhor professor, tem me ensinado a ser melhor. Reconheçam seus erros (para si próprio). Façam um profundo exame de consciência e limpem seus corações. Eu vou cuidar da minha vida kkkkkk!

 

A paciência dirá se voltarei a escrever!

2 Timóteo 4:7-8 – Combati o bom combate, acabei a carreira, guardei a fé.

 

Coluna opinião do redator

A carta: Rômulo Pedro